Sindicatos de trabalhadores rurais da região encontram-se em São Vicente do Sul
05/09/2018 00:16 em Geral

 

São Vicente do Sul sediou nesta terça-feira (4) o encontro regional dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. O evento é realizado mensalmente e discute os problemas enfrentados pelos sindicatos, pelos trabalhadores da agricultura familiar e ainda levanta pautas para serem conduzidas até a Fetag, além de discutir soluções para busca do desenvolvimento da agricultura familiar na região. Estiveram presentes no encontro Carlos Joel da Silva, presidente da Fetag (Federação da Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul); Fabrício Murini, presidente da Astresma (Associação dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais da Região Santa Maria) e Hermes Taschetto, coordenador de programas da SDR (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo), além de representantes dos diversos sindicatos da região.

De acordo com o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva, a agricultura familiar não é uma agricultura de subsistência, ela é uma agricultura de investimento e tecnologia, que busca aprimorar-se e apresenta-se como protagonista na produção de alimentos e tem substancial importância na economia.

-Nossa agricultura familiar hoje tem tecnologia de ponta, tem genética de ponta – afirma Silva.

Uma das provas da força da agricultura familiar na economia é seu desempenho na Expointer 2018. Somente no pavilhão da agricultura familiar foram movimentados R$ 4 milhões em 9 dias de feira, sem contar os negócios realizados pelos produtores com a aquisição de equipamentos agrícolas.

Uma das principais preocupações demonstrada pelas instituições presentes no encontro diz respeito aos dados do censo rural divulgados neste ano. De acordo com o levantamento, a população rural com mais de 60 anos está aumentando, enquanto a população jovem, com menos de 25 anos, diminui, ou seja, o meio rural está ficando idoso. Com isso, teme-se um colapso da agricultura familiar, que deixará de renovar sua mão de obra acarretando no abandono de pequenas propriedades e em quebra da produção rural familiar.

A boa notícia ficou por conta da abertura da Casa Rural Familiar, uma escola para formação de agricultores familiares e que também certificará o aluno com o ensino médio. A casa será instalada no interior de São Vicente do Sul, no prédio da escola municipal desativada São Miguel, na localidade de Cerro São Miguel. Segundo Hermes Taschetto, a escola funcionará como uma espécie de internato. O aluno passa uma semana na escola e duas semanas em casa, desenvolvendo projetos voltados à agricultura familiar.

- É uma coisa nova, é desafiante, mas é essencial se nós queremos que nossos filhos permaneçam no meio rural com condições, com expectativa de futuro. – ressalta o coordenador.

Além disso, a Secretaria de Educação do Estado reconheceu neste ano o programa como ensino médio, certificando os alunos que frequentarem a Casa Familiar Rural. A previsão de abertura e funcionamento ainda é incerta, mas estima-se que deverá acontecer no começo de 2019 ou começo de 2020.

 

Texto/Foto: Ronei Bueno

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!